Leia o Boletim e Cadastre-se!
 
 
Penitenciárias Femininas em Notas, Notícias e Eventos
Volta à Página Anterior


Por: Elizabeth Misciasci

 


Maio de 2008

      zaP! Informando. Leia na íntegra
PF_Curitiba fechado

Canteiros de trabalho: 8 (Montagem de componentes elétricos e eletrônicos, artesanato, montagem do kit do Projeto Pintando a Liberdade, manutenção e cozinha).
A Penitenciária Feminina de Curitiba, conta com o Projeto Bematech há muitos anos.
A Bematech realiza um trabalho com a Penitenciária Feminina de Piraquara desde 1997.

Centro de Regime Semi-Aberto Feminino de Curitiba - CRAF
Penitenciária Feminina de Curitiba- Semi Aberto CRAF
Localizada em Curitiba, caracteriza-se como estabelecimento penal destinada a presas do sexo feminino, em regime semi-aberto, de conformidade com a Lei de Execução Penal. Sua capacidade de lotação é para 106 presas, possuindo uma lotação média de 100 presas, das quais 70% da população carcerária emprega sua mão de obra em atividades de manutenção, artesanato e prestação de serviços nos 15 canteiros de trabalho internos e externos existentes por meio de convênio.
Em setembro de 2007, a Unidade teve inaugurada sua nova sede na Rua Monteiro Tourinho, 1506, em um imóvel anexo à Escola Penitenciária, com capacidade para 98 reeducandas
.

Regime Fechado

Penitenciária Feminina de Piraqua- Regime Fechado
Penitenciária Feminina de Piraquara
São 11 reeducandas que trabalham uniformizadas, durante seis horas diárias. Cada três dias trabalhados significa um dia de redução da pena.
São remuneradas, recebem 75% do salário mínimo. A Bematech contribui ainda com um valor mensal para a Fundação.
As reeducandas se orgulham de seu preparo e sonham trabalhar na fábrica após o cumprimento da pena.
Mensalmente são oferecidos lanches especiais e cestas no final do ano.

Ambulatorio e Atendimento - PF de Curitiba- Paraná
Penitenciária Feminina Paraná

 

Ainda no Butantã- CAHMP

Mesmo em data simbolica (em alusão ao Dia Internacional da Mulher)– o novo grupo de eventos da Coordenadoria de Saúde do (Secretaria de Administração Penitenciária da Capital de São Paulo) Estado, realizou um Projeto, que leva seu nome "Fotografia". O projeto Fotografia, consiste em tirar fotos de reeducandas e seus respectivos bebês, no Centro de Atendimento Hospitalar à Mulher Presa (CAHMP) e de gestantes no Centro Hospitalar (CH) do Sistema Penitenciário.
É uma forma das reeducandasm terem sempre presente a figura de seus bebês, após o período de permanencia no CAHMP, ou seja, após o período de aleitamento materno, que na Capital é de quatro meses.


Semi aberto- Penitenciaria Feminina do Butantã Sp.

Penitenciária Feminina
de
Regime Semi-Aberto
Butantã -São Paulo

Melhorar o condicionamento físico e mental das reeducandas, através de atividades de alongamento físico, exercícios localizados, aeróbicos e com pesos, técnicas de relaxamento e recreação esportiva.

Trata-se de mais um projeto concretizado pela diretoria da Penitenciária Feminina “Dra. Maria Cardoso de Oliveira” - Butantã, em parceria com as empresas que têm fábricas instaladas na unidade prisional e utilizam mão-de-obra de presas. A penitenciária é destinadas a reeducandas que cumprem pena em regime semi-aberto.

 

 

Penitenciarias Femininas em Noticias
Penitenciária Feminina e de Alcaçuz - Natal (RN)
Penitenciária Feminina e de Alcaçuz - Natal (RN)
Penitenciária Feminina e de Alcaçuz - Natal (RN)

Ministradas aulas de informática para apenadas. A capacitação dos monitores - dois para cada Telecentro - oferecida pela Câmara Municipal de Natal, em razão de convênio existente com o Banco do Brasil, esta oferecendo a oportunidade futura, de profissionalização.

Penitenciária Feminina do Gama

Retomar a auto-estima das mulheres presas na Penitenciária Feminina do Distrito Federal e promover a cidadania entre as detentas. Com esta proposta, quase 400 presidiárias assistiram, em janeiro deste ano, outras 12 caminharem por uma passarela. Elas disputaram o concurso de Miss Presidiária 2008. Uma verdadeira estrutura das famosas semanas de moda foi montada para o projeto, no presídio (antigo Colméia) no Gama. O evento teve 200 convidados, banda e telões. As candidatas receberam tratamento especial durante todo o dia.



Penitenciária Feminina do Gama -DF Concurso Beleza
Concurso de Beleza na Penitenciária Feminina Gama -DF
Ainda no Gama
o Conselho dos Direitos das Mulheres do Distrito Federal (CDM-DF) lançou, o programa Mulheres em Liberdade. Advogados do conselho e alunos do curso de direito do Centro Universitário de Brasília (UniCeub), acompanhados de monitores, prestam assistência jurídica às detentas da Penitenciária Feminina do Gama. O mutirão também conta com a presença de médicos (mastologista, ginecologista e oftalmologista), psicólogo, dentista e cabeleireiros.
O programa Mulheres em Liberdade visa auxiliar as presidiárias sobre os direitos e benefícios previstos na Lei de Execução Penal, tais como: progressão de regime, remissão das penas, autorização de saídas temporárias, conversão da pena e livramento condicional. "Muitas mulheres condenadas deixam de gozar dos benefícios previstos em lei por falta de orientação jurídica. Nosso objetivo é fazer um trabalho de assistência permanente", afirma a presidente do CDM-DF, Mirta Brasil Fraga. A exemplo do UniCeub, o conselho espera firmar convênios com outras instituições de ensino superior.
Thobias da Vai-vai fez a festa de internas do HCTPI de Franco da Rocha

Hospital de Custódia e Tratamento Psiquiátrico I (HCTP) de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Pacientes que cumprem pena em Medida de Segurança (MS) receberam no dia cinco de março, a visita do sambista e puxador da escola de samba campeã do carnaval paulista em 2008, Thobias da Vai-vai. O músico fez uma apresentação especial na unidade, junto com o grupo que o acompanha nos shows, além de contar com a participação da cantora Elizeth Rosa.
Durante a apresentação, as pacientes dançaram e cantaram sambas do repertório de Thobias e criaram uma espécie de correio-elegante, mandando mensagens e fazendo homenagens, umas as outras, todas lidas ao microfone pelo cantor.

“-Essas são as oportunidades que tenho para demonstrar minha gratidão por todo reconhecimento, independente da pessoa estar encarcerada ou não”, afirmou Thobias.


-“ Eu, graças ao pai do céu, já faço apresentações em penitenciárias há quase de 30 anos e nunca fui desrespeitado por presos ou funcionários. Saio daqui com a alma lavada”pontuou.
 

Penitenciária Feminina Piauí


Penitenciária Feminina de Sant'ana

PFS playgrounds

As reeducandas, estão animadíssimas, com o excelente andamento da Judiciária da Unidade. Vários benefícios estão sendo concedidos e os processos andando. Isso se dá, ao empenho pessoal do Dr Geral da Unidade, Dr Mauricio Guarnieri, que junto a outros diretores do Presídio, tem acompanhado pessoalmente caso por caso.

E falando em reeducandas de Sant'ana, desde dezembro, as sentenciadas da Penitenciária Feminina Sant'Ana recebem a visita de seus filhos com mais comodidade. Elas ganharam de presente seis playgrounds, com gangorras, balanços, escorregadores e outros aparelhos, que foram instalados no interior dos pátios de recreação, onde as presas recebem seus familiares em dias de visita.


Representantes da Coordenação da Associação Piauiense do Movimento Hip Hop, Gilson e Gil BV, e a coordenadora de Ensino nos Presídios, Carla Maia, participaram de uma reunião, para discutirem a realização de atividades culturais e profissionalizantes nos presídios do Piauí.
A idéia é promover, inicialmente, atividades na Penitenciária Irmão Guido, Colônia Agrícola Major César Oliveira e Penitenciária Feminina de Teresina.
 
   
A Secretaria da Justiça realizará atividades comemorativas ao Dia das Mães em todos os presídios do Piauí. Na penitenciária Regional de Esperantina haverá exposição de cartazes com expressões carinhosas e acolhedoras para homenageá-las. Em Picos, serão distribuídas rosas e mensagens. Na penitenciária Feminina de Picos, o grupo da Renovação Carismática Católica fará uma celebração especial para as mães.
Em Teresina, na penitenciária Feminina, também haverá programação diversificada e especial.
Reeducandas do Talavera Bruce assistem palestra sobre câncer de mama - Penitenciária Feminina -Rio de Janeiro

Penitenciária Feminina Talavera Bruce
Penitenciária Feminina Talavera Bruce RJ

O câncer de mama, uma das principais causas de morte entre as mulheres, representando quase dez por cento dos óbitos provocados por todas as variedades da doença no país, é o tema da palestra que foi apresentada nesta terça-feira (15/05), às detentas da Penitenciária feminina Talavera Bruce, no Complexo Penitenciário de Gericinó, Zona Oeste do Rio. A palestra foi uma iniciativa da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) em parceria com a Coordenação de Saúde da Secretaria de Administração Penitenciária.

Centro de Inserção Social Consuelo Nasser - Goiânia
Penitenciária Feminina Consuelo Nasser GO
Centro de Inserção Social Consuelo Nasser - Goiânia

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Administração e Negócios Públicos (Aganp) inaugurou, no dia 23 de março DE 2008, duas novas Escolas de Informática e Cidadania. Uma no Centro de Inserção Consuelo Nasser (presídio feminino) e a outra na Casa de Prisão Provisória (CPP). As oficinas digitais são montadas em parceria com o Comitê para Democratização da Informática (CDI) e Banco do Brasil.

Penitenciaria Feminina Maranhão
cORAL Penitenciária Feminina Estevão Pinto - BH

Penitenciária Feminina Estevão Pinto - BH
Penitenciária Feminina do Maranhão

“Eu me sinto como se estivesse livre”, foram as palavras de uma detenta do Centro de Reeducação e Inclusão Social de Mulheres Apenadas (Crisma), durante o arraial organizado pelo serviço social da Instituição no último final de semana, para as oitenta e nove internas desta unidade prisional.

O evento teve o apoio de várias entidades, e proporcionou um maior contato com a cultura local e a sociedade extramuros. A iniciativa segue diretrizes da Secretaria de Estado de Segurança Cidadão, que enxerga o preso com um olhar mais humano.

O Grupo Escoteiro do Ar Padre Eustáquio, em visita à Instituição buscou também conhecer um pouco da sua história. A Penitenciária Industrial Estevão Pinto, é o único estabelecimento penal de mulheres de Minas Gerais e que inaugurou um berçário. As mulheres gestantes detentas são levadas, normalmente, para um hospital público para ter o bebê e voltam para o presídio. Muitas entregam os filhos para os parentes já na maternidade e outras preferem ficar com eles na prisão. A psicóloga do presídio Estevão Pinto, Cristiane Peres, afirma que algumas delas preferem não criar os filhos no presídio. Peres explica que há um dilema, pois o relacionamento com a mãe é fundamental para o desenvolvimento da criança, mas o convívio com o mundo exterior é indispensável. Atipicamente, as alunas do ensino fundamental da Escola Estadual Estêvão Pinto, da Penitenciária de Mulheres Estêvão Pinto, no Horto, zona Leste da Capital, estudam também e apresentam espetáculo teatral e musical. Um deles intitulado “Do Lixo ao Luxo” é um espetáculo, que resulta de um projeto que busca resgatar a cidadania e a estima das detentas, através da arte, abrindo perspectivas de reinserção social. Na penitenciária industrial Estevão Pinto (presídio feminino), em Belo Horizonte, aproximadamente 80% das internas desenvolvem também alguma atividade artesanal Nessa oportunidade fizemos a entrega ás detentas de roupas e calçados femininos doados pelas mães dos membros juvenis e escotistas do Grupo Escoteiro do Ar Padre Eustáquio.
Só a democracia gera o desenvolvimento humano e esse desenvolvimento é obra da Ação da cidadania através da participação de todos num processo que não perde a paciência, nem a esperança, nem o rumo. É cidadão todo aquele que tem papel ativo, consciente, criativo e livre na construção de uma nova sociedade. “A cidadania é uma força de transformação, que só é efetiva na medida em que cada pessoa toma uma iniciativa“ – Betinho 1996. A atividade cumpriu também o objetivo de servir ao próximo, de promover o resgate da cidadania.

Penitenciária Feminina de Rondonia
Penitenciária Feminina de Rondônia

Governo de Rondônia é elogiado pela CPI do Sistema Carcerário.

“Eu me surpreendi!”. Foi com essas palavras que o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito do Sistema Carcerário, Deputado Federal Neucimar Fraga (PR/ES), se referiu às melhorias realizadas pelo Governo de Rondônia na Casa de Detenção Dr. José Mário Alves da Silva em Porto Velho. Ele e mais quatro membros da Comissão - Domingues Dutra (PT/MA), Jusmari Oliveira (PT/BA), Ernandes Amorim (PTB/RO) e Pinto Itamaraty (PSDB/MA) – vieram averiguar as condições em que se encontravam os apenados daquela Unidade e também da Penitenciária Estadual Feminina.*

“É o primeiro presídio do País que eu vejo o esforço da Direção em separar os presos por provisórios e condenados, pelo tipo de crime cometido e até com celas para não-fumantes. Com certeza, essa atuação é responsável pela diminuição da violência dentro da Unidade”, destacou o presidente da Comissão.
“Essa também é a primeira penitenciária feminina do país que visitamos onde as apenadas não fizeram nenhuma reclamação. Pelo contrário, a atuação da direção foi muito elogiada”, salientou.

Penitenciária Feminina de Cariacica-ES

Penitenciária Feminina de Cariacica- ES.
Criminalidade feminina no Espírito Santo cresceu 28% em um ano

O Presídio Estadual Feminino, em Tucum, Cariacica, é o maior presídio feminino do Espírito Santo, com capacidade para 175 presas, mas atualmente abriga 424 detentas. Se comparado ao mesmo período de 2005, o número de detentas em Tucum praticamente dobrou. A rotatividade de mulheres que passam pelo presido também é grande. Por dia entram e saem em torno de dez mulheres.

Segundo a diretora do presídio, Maria Aparecida de Azevedo, cerca de 70% das presas cumpre pena por tráfico de drogas, e 82% delas têm algum envolvimento com outras pessoas que estão presas, como filhos e marido. Maria Aparecida destacou ainda que o maior motivo de envolvimento das mulheres com o crime é resultado da influência masculina. “Elas fazem parte da área periférica do tráfico, e são parceiras ou familiares de de traficantes”.

Diversos projetos são desenvolvidos dentro da penitenciária para proporcionar possibilidades mais efetivas de ressocialização e de reintegração com a sociedade. O trabalho na produção de roupas, oferecida por uma fábrica do Estado para as presas, pode reduzir a pena em até um terço.

Outras atividades como festas para comemorar datas como Dia da Mulher, Dia das Crianças e Natal também são realizadas em Tucum. O objetivo, segundo Maria Aparecida, é promover interatividade e melhorar o relacionamento entre as mulheres.

Para Maria Aparecida, estas atividades ajudam a despertar a idéia de que existem possibilidades fora do crime. “Quando a sociedade se dispõe a vir até o presídio e se envolver com as detentas, ela vem trazendo uma visão desprovida de preconceito. E dão a elas oportunidade de ter consciência de que podem sair daqui diferentes, melhores”, ressaltou.

 
Feminina do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj)
Feminina do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj)

 

Feminina do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj)


A presidente da Comissão dos Direitos da Mulher da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas, deputada estadual Conceição Sampaio (PP), realizou na tarde do dia (16/04/2008), uma visita à Ala Feminina do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), localizado no Km 8 da Rodovia BR-174. Acompanhada pela maior parte dos membros do corpo técnico da Comissão, formado por advogadas e assistentes sociais, além de representantes do Ministério Público, Departamento de Direitos Humanos da Secretaria de Justiça, Secretaria Estadual de Ação Social e Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, a deputada Conceição Sampaio foi recebida pelo secretário executivo adjunto da Sejus, Cel QOPM José Bernardo da Incarnação Neto e pela diretora da Penitenciária Feminina, Suely Borges Oliveira. Tanto o secretário executivo adjunto da Sejus como a diretora da penitenciária feminina elogiaram a visita da deputada Conceição Sampaio, destacando seu interesse em buscar parcerias para que o Poder Executivo possa garantir as melhorias necessárias à Ala Feminina. “Essa visita para nós é extremamente positiva, pois mostra o desejo da deputada de contribuir para a melhoria das condições com que as detentas da Ala Feminina do Compaj cumprem as sentenças”, disse o Cel Incarnação. A Dra. Suely Borges Oliveira, Diretora da Penitenciária Feminina informou que existem hoje, em Manaus, cerca de 180 presidiárias, sendo que a unidade do Compaj possui 73 detentas, das quais 53 em regime provisório e 20 já sentenciadas, a maior parte delas por tráfico de drogas. A detenta que cumpre a maior pena, é a de 48 anos em regime fechado, por latrocínio.

Penitenciária Feminina de Santa Luzia - AL.

Penitenciária Feminina de Santa Luzia - AL.

 
Um grupo de reeducandas do Presídio Feminino Santa Luzia se disponibilizou a depor na Justiça desmentindo a denúncia de maus-tratos formulada por algumas detentas ao juiz da Vara Execução Penal, Marcelo Tadeu,no dia 13 de março 2008. O intendente-geral do Sistema Penitenciário, tenente-coronel Luiz Bugarin, encaminhou nesta segunda-feira, o pedido de um delegado especial para apurar o caso.
Um grupo de reeducandas, indignadas com as denúncias exibidas nos telejornais locais, procurou a direção da unidade prisional e se dispôs a depor no processo que investiga os maus-tratos. Segundo as presas, que pediram para não ser identificadas, por medo de represálias, as detentas estavam insatisfeitas com as mudanças aplicadas pela nova direção e já estavam programando uma confusão.
Por outro lado, o presídio feminino foi o primeiro contemplado com a ação de saúde, que pretende garantir a acessibilidades dos internos ao programa de diagnóstico e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.
Projeto zaP! zalo, amor e paZ!  Pela Vida Sempre!


Dezesseis das 165 reeducandas da Cadeia Pública Feminina de Indaiatuba foram transferidas para a Penitenciária Feminina do bairro São Bernardo, em Campinas, começo do mês. A medida foi tomada na tentativa de atender as reivindicações das detentas de Indaiatuba, que estão amotinadas no pátio da cadeia.. Elas prometem continuar com o motim até que o número de presas seja reduzido para 70 ao todo. A capacidade da Cadeia Feminina de Indaiatuba é de 36 mulheres. Próxima Página

Creative Commons License
Penitenciárias Femininas on-line by zaP! *Elizabeth Misciasci is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Sem a comunicação a Editora e Autora * Vedada a Criação de Obras Derivadas 2.5 Brasil License - Sem a expressa Comunicação e Menção a Autora *Elizabeth Misciasci.
Based on a work at www.eunanet.net.
Permissions beyond the scope of this license may be available at http://www.revistazap.org.
 


Presídios Femininos On-Line

Acesse as últimas Notícias no Presídio Feminino On Line -Aqui

Penitenciárias Femininas em Notícias

Presídios Femininos -Informações

Presídios Femininos -Notas

Boletim Informativo dos Presídios

Volta à Página Anterior